top of page
  • Econ360

PIX: Entenda o que é e como funciona

O Pagamento Instantâneo, popularmente e oficialmente batizado como PIX, que deverá funcionar a partir de novembro, é, resumidamente, um novo método de transferências instantâneas. Para o pagador, será quase como pagar em dinheiro vivo, mas sem a necessidade de andar com a quantia em mãos, pois o papel, neste caso, será substituído pelo celular.


PIX Banco Central
PIX é, resumidamente, um novo método de transferências instantâneas. | Foto: Reprodução/Mercado e Consumo.

Ainda existem muitas dúvidas rondando o novo conceito. Por isso, a seguir, você irá entender melhor o que é o PIX e como ele irá funcionar.


Afinal, o que é o PIX?


PIX é uma nova forma de transferir dinheiro. O Banco Central do Brasil anunciou sua chegada em 19 de fevereiro. E, de acordo com seu calendário de implantação, ele deverá estar em pleno funcionamento a partir do dia 16 de novembro. Pois, os bancos e fintechs com mais de 500 mil contas ativas terão até 3 de novembro para se adequar e começar a oferecer o serviço.


Ainda, o Pagamento Instantâneo possui uma tarifa baixa e vantajosa, principalmente quando comparado a outros meios de transferência, como TED e DOC. A cada dez transações que passarem pela conta do recebedor, a instituição deverá pagar R$ 0,01, enquanto por TED, por exemplo, precisam pagar algo em torno de R$ 0,07.


Como funciona o PIX?


Para conseguir utilizar o PIX, antes de tudo, o usuário deverá ter uma conta em um banco, instituição de pagamento, ou fintech. Seja ela corrente, poupança, salário, entre outras. Também, é necessário que ele tenha o aplicativo deste banco, instituição de pagamento, ou fintech em seu celular.


Após isso, o próximo passo deverá ser cadastrar uma chave pessoal. Esta também é uma característica bastante interessante do PIX, as pessoas possuirão chaves que poderão ser usadas nas transferências, eliminando assim a necessidade de digitar todos os dados pessoais do indivíduo para o qual desejar transferir, ou cobrar uma quantia.


Esta chave poderá ser seu CPF, E-mail, número de celular, ou, até mesmo, CNPJ, caso represente uma empresa. Também, existirá a possibilidade de gerar automaticamente uma chave aleatória, composta por 32 dígitos. Esta será uma opção para quando o indivíduo não tiver à vontade para passar nenhum dos seus dados pessoais.


As chaves poderão ser cadastradas a partir de outubro, apesar do lançamento oficial do PIX ser apenas em novembro.


Também, existirá a opção para quem quiser pagar/transferir ou cobrar utilizando QR Code, seja ele mutável ou estático. Nesta modalidade, o recebedor gerará um QR Code pelo seu aplicativo, e o pagador deverá escaneá-lo para realizar o pagamento.


Por isso, o Pagamento Instantâneo está gerando tanta curiosidade mesmo antes de seu lançamento. O novo método de transferência, além de ser mais barato, é muito mais rápido que as formas atuais. Prático, simples e ágil, o PIX do Banco Central acompanha as tendências do mundo digital e tem tudo para revolucionar a forma como lidamos com dinheiro.


E você, gostou da novidade do Banco Central? Comenta aí embaixo!

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page