• Econ360

Golpe do Pix: veja 5 dicas para não cair

A chegada do Pix trouxe muita praticidade e rapidez para o dia a dia de milhões de brasileiros, mas não foi só isso. Algumas pessoas estão se aproveitando da novidade para aplicar o golpe do Pix. Pois, como qualquer outro meio de pagamento, ele sofre com a ação de criminosos que aproveitam da inocência do usuário.

5 dicas para não cair em golpes do Pix
5 dicas para não cair em nenhum golpe do Pix. | Foto: Reprodução/Code Money.

Mas, existem formas de se prevenir para não ser a próxima vítima. Por isso, a seguir você irá entender como os golpes acontecem e receber dicas para evitar armadilhas na hora de utilizar o Pix. Continue a leitura!


Como acontecem os golpes?


São dois os principais tipos de golpe. O primeiro consiste na criação de sites falsos para roubar os dados do usuário. Enquanto o segundo se resume a campanhas de disseminação de vírus, feitas com o objetivo de infectar seu celular ou computador. Os golpistas costumam manipular as pessoas para ter acesso às suas informações pessoais.


Normalmente, são solicitadas informações da vítima, como número de celular e CPF, que podem ser utilizadas como chaves de identificação. Com isso, fica muito mais fácil para o infrator utilizar seus dados a fim de realizar fraudes futuras. Mas existem algumas formas de evitar que isso aconteça.


Dicas para utilizar o Pix com tranquilidade


Então, reunimos aqui cinco dicas para você não cair em nenhum golpe e utilizar o Pix com tranquilidade. Confira!


1. Cuidado ao realizar o cadastro das chaves


Na maioria das vezes, os golpistas enviam SMS, e-mails ou mensagens por redes sociais falando das vantagens do Pix e pedindo para que você cadastre suas chaves. Para o cadastro, são exigidas algumas informações pessoais como celular, e-mail e CPF. Às vezes, dados bancários e senhas também são solicitados. Não caia nessa, realize seu cadastro e tire suas dúvidas somente em plataformas oficiais dos bancos ou fintechs.


2. Desconfie de links recebidos


Links maliciosos são um problema. Ignore links que lhe são enviados por WhatsApp, e-mail ou SMS. Prefira acessar diretamente o site ou aplicativo oficial do seu banco. Desconfie de anexos encaminhados por e-mails suspeitos. Também, sempre mantenha seu antivírus e sistema operacional atualizados.


3. Evite repassar códigos


As instituições alertam que nunca pedem senhas ou qualquer código de validação de transações fora dos seus canais oficiais. Por isso, atente-se em não compartilhar códigos de verificação recebidos via e-mail ou SMS, nem imagens de QR Codes enviados para autenticar qualquer operação.


4. Nunca revele suas senhas


Suas senhas são pessoais e os bancos ou fintechs não costumam solicitá-las fora de seus canais oficiais. Portanto, atente-se a isso. Também, é importante prestar atenção caso receba alguma mensagem informando uma alteração de senha não solicitada, evite clicar em links. Na dúvida contate seu banco, ele poderá te orientar da melhor forma sobre como prosseguir.


5. Cadastre-se no Pix


Um jeito bastante eficaz de evitar que terceiros utilizem seus dados para cadastrar chaves é cadastrando elas. Pois, quando você se torna dono das chaves, por mais que o criminoso tenha seus dados, será difícil fazer algo, visto que as informações já vão estar cadastradas. A única maneira seria realizando uma portabilidade, mas esse processo é mais complicado e necessita de sua confirmação.


Portanto, preste bastante atenção em todas as dicas para não cair em nenhum golpe do Pix. No geral, desconfie de links maliciosos, nunca realize o cadastro de suas chaves fora de um canal oficial, evite repassar códigos, senhas, abrir anexos de qualquer um e cadastre suas chaves. Caso tenha dúvidas ou desconfie de algo, não hesite em contatar seu banco por meio dos canais oficiais de atendimento, é sempre a melhor opção.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo